educadora melhor

História do Leitor: Rafaela Rosa, a Dislexia me Tornou uma Educadora Melhor

Olá queridos e queridas. Me chamo Rafaela Melaré Rosa e tenho 24 anos. Tive meu diagnóstico de dislexia e discalculia aos 22 anos (tardio, não é?).

Sempre fui uma criança inteligente que gostava muito de leitura, sempre me interessei muito quadrinhos (paixão e cultivo até hoje) apesar ser muito dispersa, mas sempre fui taxada de preguiçosa, desatenta e uma péssima aluna. Perdia sempre minhas coisas, nunca conseguia compreender matemática e tinha um medo absurdo de olhar para um relógio pois os números pareciam estar “flutuando”. Minha letra não era a das melhores, mas infelizmente a solução eram os cadernos de caligrafia (que tenho um enorme ‘trauma’ até hoje rs).

Minha vida escolar foi marcada por notas ruins, alguma boa aqui e lá em algumas matérias como história, às vezes português e geografia; mas matemática, física e química sempre foi meu maior pavor, o que me resultava em recuperação todo final de ano.

Com 20 anos iniciei a faculdade de Pedagogia, fui levando bem o curso todo e até conseguia alcançar boas notas (diferentemente da escola). Um dia comecei a mexer em algumas coisas antigas e me deparei com alguns comunicados e advertências aos meus pais se referindo a troca e confusões de letras e números,dificuldade de leitura e etc…Mas nenhum encaminhamento, sempre como reclamação ou pedido de intervenção  para ”puxar minha orelha em casa”; aquilo me deixou intrigada e a partir daquele momento comecei a me policiar e reparar nas coisas que escrevia, artigos, relatórios e percebi que era frequente, mesmo que eu acabasse ”arrumando” depois sem perceber por achar que era um erro comum e que ”podia acontecer”. Quando estava para finalizar o curso, tive a matéria de inclusão escolar que trouxe a tona a dislexia e me identifiquei com cada sintoma citado ali. Busquei ajuda profissional e tive finalmente o diagnóstico que acabou sendo um enorme alívio em minha vida.

Por alguns momentos me sentia incapaz de não conseguir ser ”tão boa” como os outros. Saber o motivo de tudo isso, me deu animo a mais para seguir com meus sonhos.

Atualmente, com 24 anos estou cursando minha terceira faculdade. Me formei em pedagogia, e ironicamente acabei me apaixonando por Alfabetização e Letramento que foi minha segunda especialização e primeira pós graduação. Hoje sou pós-graduanda em Psicopedagogia Clínica e Institucional, pois tenho a noção e empatia de que existem pessoas que precisam de uma atenção da qual eu não tive, dessa forma minha intenção e paixão por ensinar veio de querer ajudar e ensinar a todos sem distinção. Tinha pavor em estudar, hoje mal acabei a faculdade e já estou pensando no mestrado e no doutorado na área da psicologia educacional e não tenho pretensões de parar de me dedicar aos estudos.

A minha dislexia veio como benção, tenho certeza que sou uma Educadora melhor e busco me aperfeiçoar e ter empatia, carinho e amor com meus alunos e pacientes; não julgando, mas estendendo a mão e buscando ajuda-los a superar obstáculos.

Nós podemos, não desistam jamais. Um beijo <3


Já pensou em ter sua história no DislexClub e ainda inspirar muita gente? Se você quiser, nos conte como é sua relação coma dislexia: suas lutas, sua superação, suas vitórias ou se quiser apenas desabafar… Envie para: dislexclub@gmail.com

Artigos Recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>