melhorar a aprendizagem dos dislexicos

7 Abordagens para Melhorar a Aprendizagem dos Disléxicos

Olá! Fiquei bastante contente com o convite do Pippo para colaborar com o blog e neste texto irei apresentar estratégias e recursos que indico para pacientes disléxicos ou com problemas de aprendizagem. Já adianto que, ao final do texto, você perceberá que muitas dessas orientações podem ser bastante válidas e úteis para todos os estudantes e para todos nós que lidamos com a necessidade da leitura no dia a dia. Antes de apresentar as dicas e estratégias, trago aqui a fala de uma paciente minha de 12 anos que é disléxica: “Amo aprender, mas detesto estudar!”. Por que será que isso acontece? Você também pensa assim? Estudar exige de nós muito mais do que interesse e curiosidade, por isso é tão frustrante e difícil algumas vezes. Então, para auxiliar a aprendizagem dos disléxicos, sugiro os seguintes passos:

Exercícios de Respiração

Antes de tudo, respire fundo e relaxe: diversas pesquisas internacionais e nacionais estão apontando que nos estados de ansiedade, a concentração de cortisol (hormônio do estresse) pode ser diminuída com exercícios de respiração diafragmática e de relaxamento muscular. Experimente respirar inspirando e expirando o ar lentamente nos pulmões, sentindo seu corpo com mais consciência. Os exercícios de relaxamento muscular podem incluir alongamento de diversos músculos, especialmente aqueles que ficam mais tensionados em você e que são os mais ativados nos momentos de estudo (pescoço, costas, ombros, braços). Veja esse gif bem interessante que pode te ajudar: http://i.imgur.com/Huou7Gh.gif

Organize uma Rotina de Estudos

Identifique qual é o local em que você é mais produtivo, o período do dia em que seus estudos podem render mais, a quantidade de conteúdos e materiais que devem ser estudados. Planejar e prever o período de tempo necessário para dedicar-se a cada estudo é fundamental. Ao mesmo tempo, são habilidades bastante complexas para a maior parte dos disléxicos. Por isso, com ou sem ajuda, o importante é tentar.

Utilize Mapas Mentais

Tentar estudar com pilhas de textos impressos ou ainda escritos por você mesmo pode ser um processo muito lento e árduo. Já que o disléxico possui problemas em decodificar os sons corretamente e em reconhecer as palavras visualmente, os mapas mentais podem ser de grande ajuda. Um mapa mental é uma representação gráfica e visual (que pode conter palavras e frases-chave) que organiza diversas informações distintas sobre um mesmo assunto e que possuem conexões entre si. Deste modo, podemos ilustrar diferentes conceitos e conteúdos e exercitar a memória e a síntese de informações. Neste link você encontra um site em que você pode acessar diversos mapas mentais e construir os seus próprios: https://www.goconqr.com/pt-BR/mapas-mentais/

Utilize Áudio Books

Como comentamos, o disléxico apresenta lentidão e prejuízos de identificação das palavras durante a leitura. Esses problemas prejudicam bastante a memorização e a compreensão de tantas informações escritas que precisamos aprender. Além disso, na correria do dia a dia, os prazos que temos podem ser muito curtos para ler livros e ainda precisar fazer exercícios/avaliações sobre esses textos. Por isso, os áudio-books, também chamados de áudio livros ou livros falados, que narram e fazem a leitura de materiais impressos, pode ser de grande ajuda para aumentar a sua compreensão e cumprir os prazos.

Estratégias Lúdicas e Multissensoriais

Músicas, poemas, filmes, experiências, visitas a locais… Voltando à frase “Amo aprender, mas detesto estudar!”, podemos repensar o que significa aprender e quais são as formas de estudar para aprender. A nossa sociedade valoriza muito apenas o estudo pela escrita, mas nós podemos e devemos estudar indo além dos textos e livros. As estratégias lúdicas são relacionadas às brincadeiras que podemos criar individualmente ou estudando em grupos: criar quizzes, imaginar situações engraçadas, criar piadas com os assuntos estudados, desenhar, cantar… A multissensorialidade diz respeito ao uso de outros sentidos do corpo que o disléxico tem mais fortes, como a visão, a audição e os movimentos. Podemos pesquisar e criar músicas com os assuntos que irão cair nas provas, ler e criar poemas (oralmente se você preferir!), assistir filmes sobre os assuntos e passar por experiências práticas que te ajudem a memorizar e se motivar mais pela aprendizagem daquele assunto que parece entediante e difícil.

Use o tempo a seu favor: Método Pomodoro

Nosso foco de atenção constantemente se dispersa, muda, vai para outras dimensões… E ficamos bastante frustrados se não conseguimos modificar isso sozinhos. Muitos de nós podemos acreditar que o “estudante ideal” fica initerruptamente por horas lendo e fazendo exercícios, mas podemos e precisamos abandonar esse ideal para adotar práticas mais saudáveis. Neurocientistas comprovam que nosso rendimento de atenção e cognitivo é muito melhor quando dedicamos pequenos blocos de tempo com foco e energia e intercalamos estes blocos com pausas de descanso. O método pomodoro coloca que a cada 25 minutos de dedicação a uma atividade, precisamos de 5 minutos de descanso. Existem diversos sites e aplicativos com o pomodoro timer, que te ajuda a utilizar essa proposta.
Veja mais informações neste link: http://guiadoestudante.abril.com.br/blogs/dicas-estudo/2015/02/23/veja-como-aumentar-a-sua-produtividade-nos-estudos-com-a-tecnica-pomodoro/

Flashcards

Um flashcard é uma ficha que contém na parte da frente uma pergunta, imagem ou conceito e no verso uma explicação ou resposta relacionada. Este recurso facilita bastante a memória porque precisamos resgatar de modo ativo as informações que lemos. Por exemplo… Preciso aprender o que é fotossíntese. Posso ter um flashcard com o nome do conceito e sua definição no verso. O estudante pode se desafiar a dizer o conceito mentalmente ou oralmente, resgatando as informações ativamente e depois consultar no verso do cartão quais informações acertou e quais não se lembrou. Podemos confeccionar em papel diversos flashcards e agrupá-los por matéria e assuntos. São muito práticos para consultar no dia a dia (enquanto estamos no metrô, na espera de uma consulta, num intervalo de tempo qualquer) e quanto mais utilizados, menos iremos precisar deles mais tarde. Existem também diversos sites e aplicativos que disponibilizam flashcards e permitem que você crie e personalize os seus: https://www.examtime.com/pt/flashcards/

Gostou das dicas!? Espero que sim e que no dia a dia você possa experimentá-las! Será muito legal ler seus comentários e dúvidas aqui no blog. Bons estudos!

Artigos Recentes

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>