A melhor forma de falar para o seu filho que ele tem dislexia

A melhor forma de falar para o seu filho que ele tem dislexia

Você está no lugar certo! Bem-vindo ao DislexClub, o canal que fala sobre dislexia de uma maneira divertida, descontraída e totalmente descomplicada. No vídeo de hoje, vamos abordar uma dúvida comum entre os pais: como contar para o meu filho que ele tem dislexia?

Não há motivo para esconder

É importante ressaltar que a dislexia não é uma doença contagiosa, tampouco algo que precise ser velado. A dislexia é uma condição normal e não há motivo nenhum para sentir vergonha ou escondê-la. Na verdade, falar abertamente sobre a dislexia pode ajudar a desestigmatizar o transtorno.

Grandes gênios da história da humanidade tiveram e têm dislexia. Portanto, não há nenhum problema em ter ou contar sobre a dislexia para o seu filho. Esconder a dislexia só contribui para trazer ainda mais peso sobre o transtorno.

A melhor forma de falar sobre a dislexia

Agora, vamos abordar a melhor maneira de falar sobre a dislexia para o seu filho. É fundamental abordar o assunto com amor, brandura, empatia e responsabilidade. Não é recomendado tratar a dislexia de forma jocosa, humilhante ou como uma brincadeira.

Lembre-se de que o seu filho já está passando por uma situação desafiadora na escola. Ele sabe que é diferente e que aprende de maneira diferente dos outros. Portanto, é importante não aumentar o peso do transtorno.

A importância de um ambiente tranquilo

Receber o diagnóstico de pode trazer algumas inseguranças e dúvidas. Por isso, crie um ambiente tranquilo em casa para conversar com o seu filho. Explique que vocês têm os resultados dos testes e que descobriram o motivo pelo qual ele aprende de forma diferente.

Destaque que ter dislexia não é um problema, mas sim um desafio. A dislexia pode trazer dificuldades na leitura e na escrita, tornando o processo de aprendizado um pouco mais demorado. No entanto, deixe claro que ele é uma pessoa inteligente e que vai aprender, mesmo que leve um pouco mais de tempo.

Valorize as habilidades do seu filho que tem dislexia

Além de abordar a dislexia, é importante valorizar as habilidades do seu filho em outras áreas. Muitas vezes, as pessoas disléxicas têm uma criatividade acima da média e são capazes de surpreender com suas ideias e respostas sofisticadas.

Destaque essas habilidades e mostre que esta condição não define a inteligência do seu filho. Ele é inteligente, mesmo que tenha dificuldades com a leitura e a escrita. Encare isso como um caminho desafiante, mas que pode ser superado.

O poder de um diagnóstico claro

Compartilho com vocês a minha experiência pessoal. Quando recebi o diagnóstico de dislexia aos 10 anos, ainda tinha muitas dúvidas sobre o que era e o que isso significava para mim. Pesquisava no Google, mas não conseguia compreender claramente as informações.

Mais tarde, aos 15 anos, atualizei o meu laudo. Esse foi um momento de mudança de paradigma na minha vida. No novo laudo, estava escrito que eu tinha inteligência acima da média para a minha idade. Essa foi a primeira vez que ouvi que era bom em algo, que era acima da média.

Essa sensação de ser reconhecido e valorizado é o mesmo sentimento que o seu filho merece. Contar sobre a dislexia de forma leve e positiva pode fazer toda a diferença em sua jornada.

Conclusão de como avisar seu filho que ele tem dislexia

Contar para o seu filho que ele tem dislexia pode parecer desafiador, mas é uma conversa necessária. Lembre-se de abordar o assunto com amor, brandura, empatia e responsabilidade. Valorize as habilidades do seu filho e mostre que ele é uma pessoa inteligente, independente das dificuldades que enfrenta na leitura e na escrita.

Se você já passou por essa experiência, compartilhe nos comentários como foi a reação do seu filho ao receber essa informação. E lembre-se: grandes disléxicos nunca desistem!


Mentoria Individual DislexClub

Durante 4 semanas vou trazer para você as melhores estratégias para vencer os desafios da dislexia.

  1. Técnicas de estudo visual que potencializam a memorização dos disléxicos 
  2. Técnicas de leitura para os disléxicos desenvolverem gosto pelos livros; 
  3. Escrita para os disléxicos diminuírem a frequência de erros ortográficos 
  4. Ajustes na rotina mudanças para deixar o cotidiano menos cansativo possível.

Saiba mais sobre a mentoria clicando aqui

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *